xLab

behavioural research lab

Encontro Ciência 2022 – e os vencedores são…

Maio 16, 2022

ID 6!

ID 25!

ID 32!

ID 39!

ID 1001!

ID 1005!

ID 1015!

ID 1016!

ID 1019!

Para reclamar o seu prémio, por favor contacte o XLAB (passda.xlab@gmail.com) até dia 20 de Maio.

Parabéns!

Economia Comportamental na RH Magazine!

Fevereiro 2, 2022

Num artigo recente, Joana Pais e Sandra Maximiano analisam os impactos de diversos enviesamentos cognitivos em recursos humanos. Leia aqui algumas contribuições que a Economia Comportamental pode trazer para a vida das organizações.

Estudo experimental sobre libertação de presos em época de Covid publicado na Plos One

Setembro 13, 2021

No âmbito de um projeto financiado pela FCT (“The role of meritocracy in legal decisions towards low status groups”), Rui Costa Lopes (co-coordenador do XLAB) e a sua equipa desenvolveram um estudo experimental a demonstrar a persistência de desigualdades raciais, desta vez em termos da aceitação pública da libertação preventiva de presos brancos e negros (para adereçar o problema de sobrelotação das prisões em tempo de pandemia).

Os resultados mostram que as pessoas são menos favoráveis à libertação de presos negros quando estes cometeram um crime estereotípico de negros, mas o mesmo não ocorre com presos brancos que cometeram um crime estereotípico de brancos. O estudo mostra ainda que este enviesamento é mais pronunciado para pessoas que acreditam no ideal da meritocracia.

Leia mais sobre isto aqui

Aceitação do aconselhamento online sobre investimento baseia-se em características da empresa de aconselhamento

Maio 17, 2019

Controlando para os efeitos da satisfação com a interação online e das características demográficas, C. Lourenço, B. Dellaert e B. Donkers concluem que as perceções de confiança e especialização que os consumidores detêm relativamente a uma entidade que oferece aconselhamento online sobre investimento de pensões são muito importantes para a sua aceitação.

Concluem ainda que estas perceções são claramente influenciadas por duas características-chave da empresa: a sua orientação para o lucro (com ou sem fins lucrativos) e o seu papel na cadeia de vendas (fornecedor do produto ou mero informador).

Curiosamente, e de acordo com os resultados com base nas respostas de um painel de grande dimensão, uma orientação para fins lucrativos tem um impacto negativo em ambas as perceções do consumidor, de confiança e especialização.

Mais informação aqui.